Leila Bokel - Obras recentes

"Fun��o da fus�o"

©Alexandros Papadopoulos Evremidis*

Primeiro era o Logos. N�o vingou. A fiss�o deu no que deu, Hiroshima, mon amour, e a fus�o com altos, quantizados teores explosivos, arrematou para o bem o mal. O t�tulo supra, embora originalmente pensado como solvente do antagonismo figura��o x abstra��o - esta ensejando/desejando destronar aquela -, segue v�lido para a arte de Bokel. Isso porque a verdade dos fatos invalida a insist�ncia daquela em representar o mundo vis�vel e o dogma desta - "representar" apenas o invis�vel, aquilo que de nenhum outro modo poss�vel seria representar.

Confluindo, por�m, para figura��o abstrata e abstra��o figurativa, claro fica que em toda e qualquer abstra��o n�o � dif�cil resgatar resqu�cios da realidade que lhe serviu de substrato, ainda que travestida de devaneio, mem�ria afetiva. A t�nica, portanto, deslocada est� - n�o vem tanto ao caso a aptid�o para o fazer/dizer dos mundos objetivo e ideal, ambos reduzidos ao insuspeito testemunho da geometria, nem o emprego dos meios pl�sticos, crom�ticos, formais, mas a irremov�vel, impulsiva, compulsiva, quase insana vontade de expressar emo��es, sentimentos, estados particulares de esp�rito.

� onde Bokel se revela feliz. Conjura for�as elementares � c�u, terra, mar, ventos, tempestades - e em impactante sinfonia, r�tmica e mel�dica, se exp�e e se (nos) imp�e. E n�s a aceitamos e acolhemos com est�ico prazer. Como recusar se, ao falar de si, do subjetivo, � de todos n�s que fala, do universal, das humanas fraturas e das avassaladoras inst�ncias que a todo instante nos assaltam?!

Livre em suas cria��es de intensa emo��o e lirismo e liberta da ditadura da cor e da forma, a artista n�o cede � tenta��o de resultados e tampouco a preconcebidos esquemas sem�nticos. Concebida a arte, e a vida, como processo, e portanto promessa, � aqui e agora, no ato de criar, que ela fia o t�nue fio da atadura, trama a trama e trava a luta da afirma��o do ser pleno. Alheia ao tempo-espa�o, mas n�o alheada da din�mica dos batimentos cordiais, da ofegante respira��o, Bokel oficia, hieraticamente, ritos por meio de riscos arqueados e lampejos de manchas em turbilhonamento - s�gnicos aqui, tachistas ali, gestuais e gest�lticos adiante, simuladores de grafismos, colagens e... descolagens, diz ela, num "ben trovato" logismo, despojados de toda ret�rica e misti/miti/fica��o. Por acaso, nada ali � acaso - pois, acaso por acaso, a Natureza faz mais e melhor.

Em suas cria��es, insisto, transcrito est� o seu DNA e sua arte sinonima com desmedida paix�o, pathos e pothos exibindo a estrutura �ntima da febril rede das nervuras em movimento - sincopado, vibrante, �brio. Da� porque tudo se configurar em del�rio contido nos extremos limites do cognosc�vel e do intelig�vel. Por instantes, tem-se a sensa��o de, ao inv�s de com pincel, ter ela pintado com afiadas garras (de que certamente � provida), num approach absolutamente corp�reo, sensual, que invariavelmente conduz � ext�tica exaust�o, inclusive f�sica. E de novo a aceitamos � n�o � essa a maravilhosa aventura porque ansiamos e que, apesar dos desgra�ados percal�os, temos de nossa e a ela nos agarramos?

� tudo abstrato e � tudo real, raz�o porque arranha o c�rebro. Mas, com tudo somado e subtra�do, resta-nos a tranq�ila sensa��o de obras resolvidas em termos e terrenos de criatividade. E de muamba uma suspeita - a de serem psicografados gr�ficos de suas (nossas), ora tumultuadas ora pl�cidas, paisagens �ntimas. � como se Bokel nos encarasse e dissesse: Esta sou eu e estas, as turbul�ncias do ser - vistas de abismos interiores, fra��es de ang�stias e dores, sonhos e fantasias da rela��o com o "Outro", o mundo.

Rio de Janeiro - 2006

©Alexandros Papadopoulos Evremidis > escritor cr�tico > E-mail


Portif�lio

Sem_ttulo
Sem t�tulo | 60x80cm | acr�lica s/ tela



Sem_ttulo
Sem t�tulo | 60x80cm | acr�lica s/ tela



Sem_ttulo
Sem t�tulo | 130x140cm | acr�lica s/ tela



Sem_ttulo
Sem t�tulo | 140x150cm | acr�lica s/ tela



Sem_ttulo
Sem t�tulo | 100x120cm | acr�lica s/ tela



Sem_ttulo
Sem t�tulo | 80x100cm | acr�lica e jornal s/ tela



Sem_ttulo
Sem t�tulo | 80x100cm | acr�lica e jornal s/ tela



Sem_ttulo
Sem t�tulo | 110x140cm | acr�lica e jornal s/ tela



Fotos: divulga��o


Para adquirir obras de arte, basta enviar Email - ser� encaminhado ao pr�prio artista ou ao seu galerista/marchand.

Artista, Escritor e +: ASSINE o RIOART e mostre suas cria��es aos qualificados leitores do Jornal e da Newsletter/InformArt enviada p/ jornalistas, galeristas, marchands, colecionadores, arquitetos, decoradores, cr�ticos, editores, livreiros, leitores, produtores culturais, aficionados e afins: Email + 21 2275-8563 + 9208-6225


©Alexandros Papadopoulos Evremidis = escritor cr�tico > Email
Retornar ao Portal